Uma história de Amor e Caridade

O amor e a caridade são os itens norteadores de uma história exemplar escrita pelo Lar Escola “Monteiro Lobato”. Tudo começou com a fundação do Centro Espírita Amor e Caridade, em 2 de julho de 1947, onde, numa acanhada casa na Vila São Manoel, em Americana, além das sessões espíritas semanais, também funcionavam classes de alfabetização de crianças e adultos, no “Instituto Monteiro Lobato” – homenagem ao escritor por sua obra literária de projeção nacional e internacional e pelo patriotismo que manifestou em vida, além dos excelentes livros infantis que escreveu.

Em 1949, da necessidade de abrigar vítimas de uma tromba d’água que assolou a cidade, nasceu o embrião do Lar Escola. Mais tarde, outras pessoas também começaram a pedir abrigo e assim surgiu a idéia de uma entidade em tempo integral que cuidasse dos desamparados.

Um impulso ainda maior viria quando o Estado assumiu a responsabilidade de manter uma instituição voltada à alfabetização e criou o 3º Grupo Escolar de Americana “Prof. Silvino de Oliveira”, deixando o caminho ainda mais propício para a criação de um abrigo.

Assim, em janeiro de 1955, iniciou-se um ciclo glorioso de dedicação e amor ao próximo, quando o Lar Escola “Monteiro Lobato” passou a oferecer, exclusivamente, amparo a meninos e meninas órfãos. A partir de outubro de 1963, com a criação do Lar das Meninas “Vó Antonieta”, a entidade passou a se encarregar apenas de meninos. Devido ao crescente número de abrigados, em 1.960 foi inaugurada a nova sede do Lar Escola, no bairro Cordenonsi, onde funcionou como abrigo até o final de 2.009.

A partir do Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária, o abrigo passou a ter nova conotação e função. Sendo assim, as políticas públicas e os órgãos de encaminhamento das crianças em situação de vulnerabilidade social ao abrigo, passaram a priorizar a família extensa como forma de atendimento à criança vitimizada ou a colocação em famílias acolhedoras, inibindo a atuação das entidades-abrigo e diminuindo a permanência das crianças que precisassem de acolhimento institucional, além de outras modificações que teriam que ser implantadas.

2.010 – CRECHE
Diante dos fatos e da capacidade física e estrutural do Lar Escola, e ainda pela demanda existente nos bairros da região, a Entidade optou pelo atendimento em formato de creche, pois dessa maneira continuará atendendo as crianças que necessitam, dentro do âmbito da filantropia e com a finalidade desde sempre idealizada: o atendimento
a criança.